quinta-feira, 10 de julho de 2014

Virando bebês pélvicos

Há uma gama de posições que o bebê pode assumir na barriga da mamãe. Quando está a termo, perto do seu nascimento, 97% dos bebês estão cefálicos, ou seja, com a cabeça para baixo. 

Apenas cerca de 3%  dos bebês se mantém sentado após 37 semanas, e esta condição pode se modificar até o nascimento, até mesmo as contrações podem ajudar neste processo.
Para saber a posição de seu neném no útero tente mapear sua barriga:


Desenhe em um papel um círculo e quatro quadrantes, cada um representando um quadrante do útero. Ao olhá-lo será como olhar para um espelho onde o fundo do útero será o topo e o "pé da barriga" é onde está seu osso púbico.

Marque o dia e o que você sentiu em cada quadrante por alguns dias. Por exemplo: dia 27 - chutes no quadrante superior direito e uma protuberância no quadrante superior esquerdo. Desenhe um coração no quadrante onde o coração pôde ser auscultado pelo médico ou enfermeiro. Onde você sentiu mais firme faça uma linha e escreva "firme". 

Com palpação procuramos por uma forma cilíndrica proveniente da protuberância firme na parte superior do fundo uterino: esta é a coxa saindo das nádegas. Se encontrarmos cilindros abaixo no abdômen e uma bola firme no topo, consideramos uma possível posição pélvica. Ouvir com um fetoscópio ou doppler é útil, mas não diagnóstico.

Tentando identificar um bebê pélvico

- Os pés são dobrados perto das nádegas do bebê: os pés e as nádegas juntos formam uma bola dura. 

- Sentir os pés cruzados e os quadris do bebê através da musculatura abdominal e do útero pode, às vezes, parecer uma cabeça. 

- A cabeça no entanto, se inclina sobre o pescoço quando movida com a mão. Segurar e mexer as nádegas fazem movimentar todo o tronco do bebê. 

- O fundo de útero sobre sobre a cabeça fetal pode ser sentida quente e macia algumas vezes.

- Quando o bebê está esticando a perna para longe de seu corpo, os quadris terão uma forma de cilindro que emerge dela, ou seja, a coxa. A cabeça não tem um cilindro saindo dela!

- Uma forma de cilindro sobrepondo a cabeça pode ser o braço do bebê. Às vezes os dedos podem ser sentidos perto do rosto. 

- O movimento dos pés na parte baixa  da pelve é marcante. Uma mãe disse: "O bebê fez minha bexiga de esteira". Na posição pélvica franca em que as pernas estão em direção à barriga e peito há pouco movimento dos pés na parte inferior do abdômen.

Leia mais em: http://spinningbabies.com/baby-positions/breech-bottoms-up/belly-mapping-a-breech

Para ajudar a criança a se posicionar bem a postura da mãe é muito importante durante toda a gestação visando um equilíbrio. Procurar manter-se ereta ajuda não somente o bebê como também a mãe a ter menos desconfortos na coluna.

Durante toda a gestação procure este equilíbrio. 
Antes de 36 semanas não é necessário preocupar-se com a posição do bebê pois sendo a cabeça a parte mais pesada de seu corpo a tendência é ele virar.
Mesmo com uma boa postura materna a criança pode não virar após esta marca e alguns exercícios e técnicas poderão ajudar.
Os exercícios abaixo podem ser feitos várias vezes por dia com um intervalo de cerca de 
20 minutos entre cada uma. Esteja com o estômago vazio e espere o neném estar acordado para se movimentar e girar!

Ficar de pés para cima, podem ser combinadas outras técnicas como som e calor/ gelo
 (leia abaixo).

Variação da posição acima. Pode ser feita no chão na posição de prece maometana apoiando a barriga em travesseiros para ter mais conforto.

Através da natação a pressão é reduzida facilitando a mudança de posição.

Usando bolsas térmicas: calor para atrair o bebê para baixo, gelo para afastar, logo deve ser usada no fundo do útero, abaixo dos seios.

Utilize estímulos sonos para convidar o bebê sutilmente a se movimentar e virar


Procure suporte de um acupunturista ou quiropraxista para estimular a virada


Procure seu médico ou enfermeiro obstetra e converse sobre o parto normal pélvico. Com um cuidador experiente é possível e seguro!

Leia mais no site abaixo:

 


Exercícios ensinados pela Naoli Vinaver, parteira mexicana:
Ficar nessa posição por 20 minutos 
Dar um intervalo de 1 hora e fazer a segunda posição por 20 minutos

Terceiro exercício: engatinhar por 20 minutos 

Após cada exercício, rebozo chacoalhando o quadril, ou a gestante mexer bem o quadril, como uma dança.


Você pode tentar ainda a versão externa cefálica:
 
A versão é realizada por médico ou enfermeira obstetra em geral em ambiente hospitalar.

Assista aqui o procedimento: https://www.youtube.com/watch?v=j0kK0_5QlzU




3 comentários:

Bia M disse...

legal, obrigada pelas dicas! Vou tentar todos.

Unknown disse...

Oiii estou fazendo os exercícios.. mais se o bebe virar durante ou depois do exercício eu vou saber? ?? Da pra sentir o bebê virar??

Fernanda LCG disse...

Pode virar um bebe depois q a bolsa rompeu? Grata.