Chega de violência obstétrica!


No parto normal as intervenções como soro e pique não precisam acontecer, elas devem ser a exceção e não a regra. É direito seu:
• Ser ouvida, ter suas dúvidas esclarecidas e poder se expressar, sem vergonha de chorar, gritar ou rir. Ninguém pode ignorar, maltratar ou mandar você se calar.
• Ficar livre para se movimentar, o que ajuda a aliviar a dor.
• Ter um acompanhante que pode ser quem você quiser.
• Usar roupas que não causem vergonha ou desconforto.
• Recusar a lavagem intestinal e a raspagem de pelos que são desnecessárias.
• Receber alimentos leves e líquidos se sentir fome ou sede.
• Não permitir que rompam a sua bolsa antes de ela arrebentar sozinha, porque isso pode aumentar as dores e contrações, fazer o bebê entrar em sofrimento e causar uma complicação gravíssima, chamada prolapso do cordão umbilical.
• Só receber o soro para apressar o parto (indução com ocitocina) se for necessário, porque ele aumenta muito as dores e pode fazer o bebê entrar em sofrimento.
• Só receber a anestesia se quiser e depois de ser informada sobre os riscos.
• Recusar o corte da vagina (episiotomia). Às vezes o médico faz um corte quando precisa usar o fórceps, ou quando o bebê tem que nascer rápido. Mas, se tudo estiver bem, esse corte não é necessário. Sete entre dez mulheres não laceram (não rasgam), e as que laceram normalmente têm ferimentos menores do que os de um corte.
• Parir na posição que achar mais confortável. Parir deitada com as pernas para cima dificulta a oxigenação (respiração) do bebê dentro da barriga, faz o parto demorar mais e leva você a fazer mais força, aumentando as suas chances de lacerar.
• Só fazer cesariana caso ela seja necessária, e depois de informada do motivo e dos riscos envolvidos. A cesariana feita sem motivo aumenta em três vezes a chance de você ou o bebê morrerem. Apenas 15 em cada 100 gestantes realmente precisam de cesariana. Antes de escolher um médico, veja se o percentual de cesarianas dele não está muito acima disso.

Depois de parir, se você e seu bebê estiverem saudáveis, é direito seu:

• Ter contato físico imediato com seu bebê assim que ele nascer.
• Exigir que esperem que o cordão pare de pulsar para cortá-lo, o que diminui as chances de o bebê ter anemia, além de ser mais confortável para ele.
• Ficar com o bebê sempre junto de você, amamentando-o à vontade.
• Recusar que ofereçam ao bebê água com açúcar, leite artificial, bicos, chupetas e mamadeiras, porque prejudicam a amamentação.
• Receber orientações sobre a amamentação e suas vantagens. 

Comentários

Michele Soares disse…
nossa meu sonho que realmente as coisas funcionassem assim,passei por praticamente todas as intervençoes com minha primeira gravidez e foi muito traumatizante!!!
chamo de parto anormal!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Virando bebês pélvicos

Recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) no Atendimento ao Parto Normal

Parto natural com doula