segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Sobre a suposta instalação da "Ditadura do Parto Normal"

1) Se um dia houve uma ditadura, foi a da cesariana. Nos hospitais privados a taxa continua sendo de 80 a 95%. Nos públicos de São Paulo, de 40 a 70% salvas algumas honrosas exceções. Há uma ditadura mesmo. Da cirurgia.
2) Não há uma criminalização da cesariana, mas há um descortinamento das cesarianas criminosas, finalmente. Agora todo mundo sabe que mentiras são ditas entre 4 paredes sem o menor constrangimento. Os planos divulgaram as taxas dos médicos. 100%. Sim, 100%. Ditadura do parto normal foi uma piada de mau gosto.
3) O parto é um ato heroico sim, bem como a amamentação, ambos numa sociedade que desvaloriza os processos fisiológicos e ufaniza os procedimentos cirúrgicos e o uso de mamadeiras e chupetas e complementos.
4) Não fale "emponderamento" por Osiris. É em-poder-amento. E falando em empoderamento das mulheres, finalmente elas estão contando os seus ‪#‎primeiroassédio‬ s, os ‪#‎meuamigosecreto‬ e‪#‎minhacesáreamentirosa‬ e também suas violências obstétricas empurradas goela abaixo. Em-poder-emos duas mulheres, quatro mulheres, mil mulheres!! Que elas possam abrir o bico mesmo!
5) O movimento pela humanização do parto vai continuar estimulando as mulheres a fugirem de suas cesáreas desnecessárias E procurarem uma segunda opinião para avaliação de seus casos. Porque os partos são roubados sim e as mulheres são violentadas sistematicamente dentro de serviços obstétricos sim. Só o cego por conveniência não vê.
6) A exposição de casos específicos por médicos é falta ética e será denunciada no CRM. Médicos anti-éticos Não passarão, até mesmo para valorizarmos os médicos éticos que existem por aí.
7) O parto não é mais importante nem vale mais que o filho e se alguém sugere isso, essa pessoa é uma louca. O fato de uma mulher querer parir quando os plantonistas de um hospital com 85% de cesarianas dizem que ela precisa de uma cesariana eletiva não demonstra que ela valoriza o parto mais do que o filho. Demonstra que os médicos não estão passando mais confiança, porque eles estão praticando uma obstetrícia tosca, feia e mal amada.
8) Triste e revoltante é ver uma médica expor uma paciente fotografando seu prontuário e expondo em rede social.
9) Doulas, obstetrizes, emponderadas [sic], palpiteiros , burocratas da saúde e da justiça etc... tem justificativa sim Pratiquem uma obstetrícia decente, de qualidade, para que as mulheres não precisem fugir dela como o diabo da cruz.
10) Parto não é um ato MÉDICO e HOSPITALAR . Ponto final.

Por Ana Cristina Duarte

Nenhum comentário: